Início / Notícias / Gestão da Qualidade em laboratórios de análises clínicas: entenda!
Examinare Laboratório de Análises Clínicas - Gestão da Qualidade em laboratórios de análises clínicas: entenda!

Gestão da Qualidade em laboratórios de análises clínicas: entenda!


13/12/2019 Examinare Laboratório de Análises Clínicas Novidades

A fim de assegurar o controle de qualidade laboratorial, é fundamental a aplicação de processos de gestão que permitam a todos os profissionais envolvidos acompanhar o desempenho dos procedimentos técnicos, avaliar os resultados e revisar continuamente os métodos adotados na rotina.

 

Seja para fazer com que o laboratório gere resultados com mais eficiência e se posicione com autoridade no mercado, seja para reduzir gastos com erros administrativos, é importante que o gestor ou proprietário de um laboratório esteja atento a alguns aspectos.

 

Entre os pontos cada vez mais abordados quando se fala em controle de qualidade nos laboratórios, estão as questões relativas à biossegurança (com adoção de práticas modernas e eficazes) e à acreditação laboratorial, que tem requisitos que englobam vários processos.

 

Continue lendo para saber mais sobre como obter a satisfação dos clientes por meio do controle de qualidade, como prezar pela segurança daqueles que convivem com a rotina de um laboratório de análises clínicas e muito mais!

Otimização de processos

O controle de qualidade laboratorial é um processo contínuo de melhoramento que passa a identificar as necessidades e as expectativas dos clientes. Com as etapas de um programa de qualidade a serem seguidas, é possível coordenar, controlar e dirigir os Princípios da Gestão da Qualidade para serem incorporados em todas as atividades executadas pelo laboratório.

 

O controle de qualidade em laboratórios está relacionado não apenas à qualidade de vida daqueles que convivem no ambiente, mas também à satisfação das necessidades e expectativas do cliente. Consequentemente, se um serviço não é bem executado e não atende ao esperado, ele passa a não ser mais procurado — o que abre caminho para a concorrência.

 

Portanto, o controle de qualidade em laboratórios funciona como um importante diferencial competitivo. Ela possibilita o controle efetivo, a rastreabilidade de todos os procedimentos executados e o aumento da produtividade, uma vez que passa a fazer melhor uso do tempo ao empregar processos padronizados.

 

A partir de uma Gestão da Qualidade eficiente e de um monitoramento contínuo de todas as atividades laboratoriais, é possível avaliar pontos que não atingiram o resultado esperado. Posteriormente, é viável realizar as correções que possam melhorar o desempenho. Como consequência disso, há aumento da produtividade e, obviamente, satisfação dos clientes.

 

Ao implementar técnicas e atividades laboratoriais, gestores e colaboradores passam a monitorar todo o processo, eliminando as causas que afetam um bom desempenho em todas as etapas do ciclo da qualidade.

 

Tomada do controle de qualidade laboratorial

O objetivo principal de laboratórios de análises é assegurar que os resultados reflitam, de forma legítima, a realidade clínica apresentada pelos usuários. O resultado de um exame pode algumas vezes ser aguardado com grande ansiedade e resultados precisos são uma necessidade.

 

Os profissionais envolvidos na execução dos processos devem satisfazer as necessidades de seus pacientes e possibilitar, por meio das informações geradas, a determinação e a realização correta do diagnóstico, do tratamento e do prognóstico de doenças.

 

A melhoria contínua de todos os processos deve representar o foco principal de qualquer laboratório. Para isso, é indispensável a adoção de técnicas e procedimentos que possam oferecer, cada vez mais, melhores serviços.

 

Para atingir a máxima qualidade, é indispensável um controle efetivo dos processos, de forma que seja possível identificar possíveis falhas que possam vir a ocorrer ou mesmo que já aconteceram. Além disso, o laboratório deve estar preparado para agir, caso as falhas venham a ocorrer, evitando e minimizando as consequências, garantindo assim a qualidade dos serviços prestados.

 

Investimento em biossegurança

Um laboratório de análises clínicas contém materiais biológicos provenientes dos mais diversos organismos. Deve haver, portanto, um cuidado especial no seu manuseio, pois as amostras representam um risco àqueles que participam da rotina do local.

 

No ano de 1970, constatou-se, por meio de estudos, que os profissionais da área da saúde adquiriam com mais frequência determinadas patologias quando comparados com os de outras áreas. Concluiu-se então a necessidade de medidas capazes de reduzir essa taxa.

 

A consequência disso foi o surgimento da biossegurança. Seus princípios consistem na prevenção, minimização a até mesmo eliminação dos riscos que os materiais biológicos podem causar. É importante saber que não é apenas o ser humano a vítima desses perigos, mas sim todo o meio ambiente e sua biodiversidade.

 

Para atingir os objetivos citados, são adotadas medidas das mais simples até as mais tecnológicas. Vale ressaltar que elas não proporcionam a segurança apenas de quem tem contato direto com os materiais. Exemplo disso é o descarte correto de resíduos contaminados, que protege toda a população dos perigos.

 

Os riscos podem ser classificados da seguinte forma:

  • físicos — envolvem elementos como temperatura, radiação, ruídos, quedas, entre outros;
  • químicos — relativo a gases, produtos, vapores e substâncias tóxicas;
  • biológicos — decorrentes da manipulação de seres vivos causadores de doenças;
  • ergonômicos — relacionados ao mau posicionamento de equipamentos no local;
  • acidentes — englobam as condições que colocam em risco a integridade do trabalhador.

 

Biossegurança na prática

A fim de reduzir os riscos biológicos, as ações devem abranger diversos aspectos. Os cuidados devem ser tomados, por exemplo, na estruturação física do laboratório, nos seus equipamentos de uso individual dos profissionais e nos materiais de proteção coletiva.

 

O laboratório deve analisar suas práticas e seus procedimentos com o intuito de identificar aqueles que precisam de intervenção. Posteriormente, deve desenvolver ou adotar normas já estabelecidas de biossegurança.

 

Durante a construção do local, é necessário um planejamento que envolva profissionais de várias áreas. Dessa forma, a estrutura será capaz de atender a exigências, como um bom sistema de ventilação ou isolamento acústico e térmicos, além de outros requisitos.

 

Vale ressaltar que, embora o erro seja inerente ao ser humano, ele representa um dos principais fatores envolvidos nos acidentes biológicos. Portanto, a equipe de trabalho deve passar por treinamentos que instruam as práticas de biossegurança individuais.

 

Além de serem capacitados para redução dos riscos, os profissionais devem possuir equipamentos de proteção individual. Esses equipamentos incluem, por exemplo, óculos de proteção, máscaras, luvas, gorros, sapatilhas, entre outros.

 

Por fim, é necessária a certificação do laboratório em relação às práticas de biossegurança. Assim, é possível comprovar legalmente que ele de fato cumpre com os princípios voltados para a redução de riscos.

 

Biossegurança e sua influência na gestão laboratorial

Agora que está clara a importância da biossegurança em laboratórios de análises clínicas, é possível perceber como ela interfere na gestão da qualidade.

A qualidade do serviço prestado por um laboratório também pode ser analisada pelos acidentes que ocorrem nele. Não se deve atentar apenas para a quantidade de eventualidades, mas, principalmente, para os efeitos causados por elas.

 

Tendo em vista que o não cumprimento da biossegurança causa consequências para todo o meio ambiente, é fundamental analisar todas as situações que envolvam seu descumprimento.

 

Para isso, é necessário que seja notificado cada acidente ocorrido no laboratório. Dessa forma, a gestão ficará ciente de quais segmentos precisam de maior atenção quando o assunto é a biossegurança.

 

Além disso, os treinamentos e a identificação de riscos devem ser periódicos, mantendo toda a equipe atualizada e ciente das normas. Vale ressaltar que os profissionais devem ser instruídos não apenas a como evitar um acidente, mas também à forma de agir caso ele ocorra.

 

Padronização de técnicas no laboratório clínico

A padronização é outra importante ação que deve ser implementada e devidamente acompanhada. Ou seja, para garantir a qualidade, em todas as fases, deve-se seguir procedimentos padronizados, que vão desde o atendimento do paciente até a liberação do laudo. Com isso, o laboratório pode alcançar a máxima eficiência no desempenho operacional e com a Gestão da Qualidade pretendida.

 

Cada atividade deve ser devidamente documentada por meio de Procedimentos Operacionais Padrão (POP) ou mesmo de Instruções de Trabalho (IT). Essas informações deverão estar acessíveis a todos os funcionários, de modo que cada etapa de execução seja conhecida e seguida.

 

Via de regra, a padronização não envolve apenas os métodos, mas também os materiais. De maneira geral, a padronização em um laboratório clínico tem por finalidade prevenir, detectar, identificar e corrigir erros ou alterações que possam vir a ocorrer em todas as fases de execução das tarefas.

 

A padronização correta dos processos torna possível alcançar a qualidade desejada, enquanto a implementação de um sistema de controle de qualidade avalia e garante que essa qualidade seja atingida.

 

Redução de custos laboratoriais

A inserção de um programa de controle de qualidade laboratorial possibilita que profissionais envolvidos na execução das tarefas diárias possam monitorá-las efetivamente, garantindo que cada etapa seja devidamente enquadrada dentro dos requisitos de qualidade.

 

Com uma gestão sólida e o controle efetivo de todos os processos do empreendimento, fica muito mais fácil para o gestor ou proprietário ter em mãos um conjunto completo e significativo de dados que apontem erros e acertos e que, consequentemente, possam auxiliar nas tomadas de decisão.

 

É importante ressaltar que essa redução de custos se relaciona com todos os aspectos da gestão. Sendo assim, esses cuidados têm como objetivo prevenir erros ou mesmo perdas de forma efetiva. Além de reduzir custos, são capazes de reforçar a segurança dos resultados de seus pacientes.

 

Acreditação e controle de qualidade laboratorial

A acreditação de laboratórios de análises clínicas é constituída por um conjunto de pontos que devem ser considerados em relação não apenas à segurança dos pacientes, mas também à capacidade técnica e correta utilização de aparelhos e produtos por parte dos profissionais da empresa.

 

É importante ressaltar que a acreditação, englobando vários elementos para checagem, cobra uma rastreabilidade eficaz dos procedimentos, o que pode servir de grande auxílio para o dono de laboratório que deseja ter uma visão mais clara das finanças e processos da empresa.

 

O conceito de acreditação

Trata-se de uma aprovação formal, dada por determinados órgãos específicos, que atesta a capacidade de um laboratório em se manter atualizado sobre os requisitos necessários para a segurança e a qualidade no atendimento.

 

O processo é aplicável a laboratórios que realizam procedimentos dos mais diversos tipos que tenham como base a análise de materiais orgânicos (exames microbiológicos, hematológicos, patológicos etc.).

 

A acreditação é um processo voluntário de avaliação; apesar disso, é de extrema importância, para que o gestor possa se orientar em relação aos procedimentos do próprio laboratório, ter uma equipe que trabalha com eficiência e segurança, além de obter a satisfação dos clientes ao apresentar um ambiente seguro e confiável para a realização de exames.

 

A importância da acreditação laboratorial

Como dissemos logo acima, a importância da acreditação está relacionada com três elementos principais:

  • otimização de processos de gestão;
  • segurança e eficiência na realização de procedimentos por parte da equipe técnica responsável;
  • satisfação do cliente.

 

Ao levar em consideração os pontos necessários para o aval do órgão responsável, o laboratório garante um ambiente em que os procedimentos são realizados com eficácia e qualidade, com grande controle de cada etapa e, consequentemente, com a fidelização dos clientes.

 

Como funciona a acreditação

Para obter a acreditação, é preciso que uma agência governamental ou não avalie os procedimentos executados pelo laboratório, de forma que os requisitos pré-determinados para a realização de tarefas específicas sejam avaliados.

 

Programas de Acreditação da Qualidade oferecem aos usuários a possibilidade de garantir que os serviços prestados atendam a determinados critérios de qualidade, que são avaliados por profissionais certificados para essa análise.

 

Programas de acreditação disponíveis no Brasil

No Brasil, estão disponíveis dois programas de Acreditação da Qualidade para laboratórios clínicos: o do Departamento de Inspeção e de Credenciamento da Qualidade, patrocinado pela Sociedade Brasileira de Análises Clínicas (DIQC), e o do Programa de Acreditação de Laboratórios Clínicos, de responsabilidade da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica e Medicina Laboratorial (PALC).

 

Implementação de programas de acreditação

A implementação de programas de Acreditação da Qualidade na rotina laboratorial fortalece o controle de processos e de pessoas. Isso possibilita criar ou mesmo melhorar os padrões do que é executado, de modo a reduzir os riscos ou falhas ocasionadas por eventuais problemas que possam comprometer a qualidade dos serviços prestados.

 

A implementação de programas de qualidade, muito além de garantir a prestação de um serviço dentro de padrões técnicos recomendáveis, possibilita que desperdícios possam ser reduzidos — ou mesmo eliminados —, custos sejam reduzidos e a produtividade seja aumentada consideravelmente, o que acaba oferecendo ao laboratório vantagem competitiva frente aos demais concorrentes que oferecem os mesmos serviços ou similares.

 

Conclusão

Além disso, quando laboratórios de análises clínicas mantêm programas de certificações e acreditações por agências reguladoras, pode-se contar com uma maior possibilidade de melhoria, uma vez que é possível detectar falhas que impedem um melhor alcance dos resultados e, consequentemente, levam à redução da satisfação do cliente.

 

Todos os aspectos do laboratório são relacionados quando se pensa em adaptar a estrutura, as técnicas e os profissionais aos requisitos propostos em relação à biossegurança, conforto dos pacientes e agilidade de análise e gestão de processos.

 

Agora que você já entendeu sobre os diferentes aspectos relacionados ao controle de qualidade laboratorial e à biossegurança na análise clínica, não deixe de entrar em contato e saiba mais sobre como melhorar seu atendimento, a velocidade de entrega e os resultados no seu laboratório.

 

FONTE: unilab.com




Desenvolvido por: CI Digital